Você, certamente, já ouviu falar do Enade. O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes surgiu em 2004 e, desde então, tornou-se o mais importante método avaliativo que compõe o Sistema Nacional de Avaliação Superior (Sinaes). Além de fazer parte do conjunto de avaliação do Sinaes, sua função inicial foi substituir o Exame Nacional de Cursos, popularmente conhecido como o “Provão”.

Em linhas gerais, o objetivo do Enade é avaliar o desempenho dos estudantes, porém os resultados obtidos acabam servindo como medida comparativa de qualidade dos cursos superiores no Brasil. Ele também é uma fonte de informações que permitem as Instituições de Educação Superior (IES) a aprimorar e a qualificar seus processos pedagógicos.

As diretrizes que instituem a criação e norteiam a formulação do Enade são definidas pelas seguintes normas:

Lei nº. 10.861, de 14 de abril de 2004 (Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior);

– Portaria Normativa nº 40, de 12 de dezembro de 2007 (republicada com alterações em 2010);

Portarias Normativas do regulamento do Enade publicadas anualmente pelo MEC;

– Editais publicados a cada ano de realização dos exames (o edital Enade 2017 já está disponível).

 

O SINAES

 

O Sistema Nacional de Avaliação Superior, estabelecido pela Lei nº 10.861/04, reúne as avaliações das IES, dos cursos, e do desempenho dos estudantes. Nesse sentido, contempla todos os seguintes aspectos:

 

  • aprendizagem dos discentes;
  • qualificação do corpo docente e técnico;
  • gestão institucional (coordenadoria, diretoria);
  • infraestrutura oferecida pelas IES.

 

O Enade

 

O Enade é uma prova obrigatória que ocorre anualmente em meados de novembro. Em 2017 será aplicada no dia 26 de novembro, com início às 13h30min (horário de Brasília).

A prova tem duração de 4 horas e possui 40 questões, sendo: 10 questões de formação geral e 30 de componentes específicos. A parte de formação geral equivale a 25% da prova e a parte de componentes específicos a 75%. Há questões dissertativas e de múltipla-escolha.

 

Os estudantes inscritos para a avaliação são os ingressantes e os concluintes dos cursos que estão sendo avaliados, de acordo com o que foi designado no edital do referido ano. Os ingressantes, porém, não são submetidos à prova, servindo, para fins comparativos como “grupo de controle”.

O regulamento de 2017 do Enade, determina que serão avaliadas as seguintes áreas:

 

  1. bacharel nas áreas de Arquitetura e Urbanismo, Engenharia Ambiental, Engenharia Civil, Engenharia de Alimentos, Engenharia de Computação, Engenharia de Controle e Automação, Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, Engenharia Florestal, Engenharia Mecânica, Engenharia Química, Engenharia e Sistema de Informação;
  2. bacharel ou licenciatura nas áreas de Ciência da Computação, Ciências Biológicas, Ciências Sociais, Filosofia, Física, Geografia, História, Letras – Português, Matemática e Química;
  3.  licenciatura nas áreas de Artes Visuais, Educação Física, Letras – Português e Espanhol, Letras – Português e Inglês, Letras – Inglês, Música e Pedagogia e
  4.  tecnólogo nas áreas de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Gestão da Produção Industrial, Redes de Computadores e Gestão da Tecnologia da Informação.

 

Na parte de formação geral, a prova adota como referencial os seguintes temas:

I. Ética, democracia e cidadania;

II. Cultura e arte;

III. Globalização e política internacional;

IV. Processos migratórios;

V. Vida urbana e vida rural;

VI. Meio ambiente;

VII. Políticas públicas: educação, habitação, saneamento, saúde, transporte, segurança, defesa e questões ambientais;

VIII. Responsabilidade social;

IX. Sociodiversidade e multiculturalismo: violência, tolerância/intolerância, inclusão/exclusão, sexualidade, relações de gênero e relações étnico-raciais;

X. Relações de trabalho;

XI. Ciência, tecnologia e sociedade;

XII. Inovação tecnológica;

XIII. Tecnologias de Informação e Comunicação.

Já na parte de componentes específicos, os temas são aqueles próprios da área de formação, em consonância com o perfil do egresso, as competências e as habilidades. Tudo de acordo com o previsto nas Diretrizes Curriculares Nacionais (DCN) de cada curso.

 

Veja também: Resultado do ENADE: por que sua instituição de ensino deve acompanhar?

 

Perfil do egresso, competências e habilidades

 

 

O referencial temático do Enade é apenas um meio para avaliar de forma uniforme a construção do perfil do egresso e o domínio de competências e habilidades necessárias ao exercício da profissão. Com isso, os componentes específicos e teóricos são caminhos para a demonstração das capacidades inerentes ao exercício profissional.

 

Além da prova em si, o Enade conta também com um questionário que propicia informações sobre:

– impressões dos estudantes sobre a prova;

– perfil sócio-econômico dos estudantes;

– percepção dos estudantes sobre o curso e a infraestrutura da IES.

 

Após a realização das provas, os resultados dos estudantes no Enade ficam disponíveis publicamente, sendo que as IES podem analisar os dados referentes ao desempenho a nível aluno.

 

É de extrema importância que as Instituições procurem utilizar os dados obtidos para aprimorar seus processos pedagógicos, buscando estratégias diversificadas para a aprendizagem dos estudantes.

Vale ainda reforçar a necessidade de estimular e avaliar a participação e o engajamento dos alunos em relação ao conteúdo estudado baseado nas competências e habilidades.

Já conhece a ferramenta gratuita do Resultado Enade, desenvolvida pela Saraiva Educação, para você analisar de forma simples e intuitiva os principais indicadores da sua IES e dos seus concorrentes? Acesse abaixo: