As profundas transformações sociopolíticas e econômicas pelas quais a sociedade vem passando, aliadas ao frenético avanço das tecnologias, resultaram em novos comportamentos dos indivíduos e do mercado. Para acompanhar esse novo cenário, o ensino superior enxerga a necessidade de investir pesado na capacitação de docentes.

O reposicionamento do papel do professor implica na construção, desconstrução e reconstrução do saber (Favarim, s/d), a fim de que a docência consiga enquadrar-se nos atuais paradigmas. Para isso, deve haver um programa institucionalizado de capacitação profissional que permita esse novo olhar para o ensino e o abandono de certos vícios culturais, como o antigo protagonismo professoral que marcou a educação por décadas.

Neste artigo, vamos compartilhar com você ideias de capacitação de docentes para que sua IES atualize-se diante das novas dinâmicas da educação superior e garanta excelência na atuação de seus professores. Confira!

Entenda os desafios dos docentes no processo de ensino-aprendizagem

A qualidade do ensino superior está ligada diretamente à atuação dos professores, o que revela a importância de sua formação científica, pedagógica e política (Veiga, s/d), conforme está explícito na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (9.394/96), em seu artigo 66.

No entanto, a lei é tímida ao explicitar parâmetros para a capacitação referente ao processo de ensino-aprendizagem, limitando-se apenas a autorizar o uso de recursos tecnológicos e educação a distância para tais fins (art. 62 §2o). Sendo assim, cabe às instituições promover tal analogia e adotar políticas inerentes à própria visão do ensino.

Mas isso é feito de que maneira? Os planos de capacitação profissional apresentam eficácia e atingem os objetivos esperados? Como os professores reagem a essas ações?

Por isso, o primeiro passo, antes do lançamento de um programa de capacitação de docentes, é identificar os desafios enfrentados pelos professores no cotidiano de sua atuação universitária.

E, nesse contexto, é preciso avaliar se a didática dos professores, somada à sua bagagem de conhecimento, possibilita a exploração de caminhos que levem ao melhor desempenho dos alunos e contribuam para a avaliação institucional.

Invista em programas de capacitação pedagógica

A institucionalização de programas de capacitação pedagógica dá ao professor amparo da IES para se reinventar e resgatar sua motivação. É uma oportunidade de o mestre potencializar seu desempenho em sala de aula e aproximar-se das novas metodologias de ensino.

Ainda, possibilita a familiarização com tecnologias recentes, sobretudo com relação aos ambientes virtuais de aprendizagem, além da compreensão do perfil comportamental da atual geração que adentra os cursos superiores.

Uma das prioridades da capacitação de docentes é incentivá-los a abandonar práticas conservadoras de ensino. Como a produção científica e a inovação tecnológica estão acontecendo a uma velocidade indescritível, centrar a adoção de práticas pedagógicas apenas em conteúdos (in)formativos é um fator desmotivador para os alunos e os próprios professores.

Dessa maneira, é preciso incitar a exploração de alternativas metodológicas que coloquem o aluno como protagonista do seu aprendizado e incentivem a proatividade estudantil.

Algumas IES dão tanta importância à capacitação de docentes que estão criando setores específicos para pensar a qualidade dessa formação e os fatores psicológicos que influenciam o desempenho dos mestres.

É o caso da IES mineira UninCor (Universidade do Vale do Rio Verde), que instalou o Núcleo de Orientação Psicopedagógica, cujo foco é a qualidade de ensino, pesquisa e extensão a partir da inovação. Entre as ações promovidas pelo setor estão uma agenda de encontros, palestras, seminários e cursos de assessoria à docência.

Tais eventos são fundamentais para treinar questões didáticas, como elaborar uma avaliação ou uma aula com recursos digitais, e promover o debate sobre questões relevantes para a IES com relação à diversidade estudantil e cultura organizacional.

Espaço para a troca de experiências e diálogo

Os programas de capacitação de docentes também são importantes para o aprofundamento de temas concernentes à atualização do conhecimento e possibilitam trocas positivas entre os próprios membros da IES.

Ali, acontece o alinhamento de ideias e a IES consegue feedbacks dos docentes quanto à gestão acadêmica, bem como receber propostas que possam melhorar a qualidade do ensino. Dessa forma, cria-se um esforço conjunto em prol da missão educacional ao mesmo tempo em que o engajamento dos professores é estimulado.

Inclusão do Enade nas linhas de ação

A cultura organizacional em torno do Enade é necessária para que os professores estejam aptos a preparar os alunos a prestarem o exame e garantirem melhor desempenho da sua IES. Com isso, os programas de capacitação de docentes devem incluir linhas de ação que permitam uma análise minuciosa dos conteúdos, habilidades e competências esperadas na avaliação.

A partir daí, trabalham-se de maneira conjunta (corpo docente e gestores) ações que aumentem o desempenho dos alunos, como otimização das matrizes curriculares e atualização da infraestrutura da IES para atender às novas metodologias de ensino.

Incentive a pós-graduação stricto sensu e a pesquisa

Além da capacitação didática, a docência universitária não pode distanciar-se do desenvolvimento intelectual e da produção científica e pesquisa. Portanto, incentivar a titulação docente é imprescindível para a atualização da academia e adequação dos planos de aula às demandas mercadológicas.

É crescente o número de IES particulares com programas permanentes de incentivo à pós-graduação stricto sensu, com o objetivo de aumentar a titulação de seus professores. Um desses exemplos é a PUC-Minas, que realiza o pagamento de horas-aula e a liberação de carga horária para docentes matriculados em programas de pós-graduação stricto sensu recomendados pela Capes ou em instituições renomadas no exterior.

Programas como esse integram pilares fundamentais da política docente porque contribuem para o fomento à pesquisa e à produção crescente de teses e dissertações. Tanto na avaliação do MEC quanto em rankings nacionais e internacionais do ensino superior, a elevada produção acadêmica é dado primordial para o crescimento do conceito institucional.

Além disso, o aumento da respeitabilidade em meio à comunidade científica e à sociedade está diretamente ligado à ampliação do número de produções acadêmicas e à pesquisa. Por isso, o estabelecimento de uma política de fixação de títulos consolida o nome da IES no mercado educacional e eleva a reputação universitária.

Parcerias e premiações

Com a finalidade de obter apoio aos projetos de pesquisa, ensino e extensão e possibilitar o desenvolvimento institucional por meio do estímulo à inovação, sua IES pode buscar parcerias nas esferas pública e privada, a fim de obter incentivo financeiro e suporte estrutural.

Lei de Incentivo à Inovação e à Pesquisa Científica e Tecnológica (10.973/04) e a Lei de Parceria Público-Privada (11.079/04) são dois exemplos a serem explorados por sua IES porque permitem a criação de subsídios para o engajamento da instituição em projetos de grande envergadura que agregam valores aos docentes, alunos e à comunidade em geral.

Ainda, a parceria com entidades de classe e setores empresariais, em âmbito nacional e internacional, valoriza a realização da atividade de pesquisa e produção de conhecimento científico na academia e possibilita um aumento do número de professores trabalhando em tempo integral.

Algumas IES chegam a criar premiações como forma de prestigiar professores que se destacam em programas de graduação e pós-graduação, bem como reconhecem os melhores trabalhos científicos.

É o caso do Insper, localizado em São Paulo. A instituição incentiva permanentemente professores e alunos a criar um ambiente de inovação e empreendedorismo e reconhece professores que mais tenham contribuído para a formação acadêmica, humanística e profissional dos estudantes. Ademais, congratula os docentes com maior produção de artigos acadêmicos e publicações de impacto na sociedade.

Uma comunidade acadêmica proativa é aquela que tem engajamento de professores e alunos. Nesse sentido, a capacitação de docentes é essencial para garantir o entusiasmo da academia e a convicção de que a atuação individual é indispensável à missão educacional de sua IES.

Agora é sua vez. Compartilhe este post na sua rede social e permita que outros educadores também reflitam sobre a importância do investimento em capacitação pedagógica.