O Padrão ENADE se refere à avaliação das instituições de ensino superior e do desempenho dos alunos concluintes e ingressantes dos cursos de graduação brasileiros.

Por meio de um exame que alia questões de formação geral e, também, perguntas específicas sobre a área de estudo do aluno, seu principal objetivo é o de avaliar e de acompanhar o processo de aprendizagem do estudante.

A partir do ENADE, são calculados indicadores que trazem, em números, a situação do ensino de nível superior no país. O principal relatório se refere ao Conceito do Curso, no qual a universidade recebe uma nota, que pode ser avaliada por meio da comparação com os resultados esperados e os obtidos por outras instituições.

Para entender melhor do que se trata o Padrão ENADE, quais os seus impactos para a IES e como atender às expectativas em relação a isso, acompanhe a leitura!

O que, de fato, é o Padrão ENADE?

O Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE) é aplicado com frequência anual pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), como parte do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes).

Seu principal objetivo é o de avaliar os alunos ingressantes e concluintes das graduações brasileiras das mais diversas áreas. A partir dos números obtidos, é calculada uma série de indicadores que levam à discussão o sistema educacional do ensino superior brasileiro.

No Manual ENADE, o exame é descrito como parte de um “tripé” que, juntamente aos processos de Avaliação de Cursos da Graduação e de Avaliação Institucional — ambos integrantes do Sinaes —, permite “conhecer em profundidade o modo de funcionamento e a qualidade dos cursos e instituições de educação superior (IES) de todo o Brasil”.

Para a professora Alzira Isabel Rosa (2010), o chamado Padrão ENADE desafia os gestores de IES a “ampliar sua qualidade no processo de ensino e aprendizagem; a reavaliar seus projetos pedagógicos; a intensificar a prática interdisciplinar; a revitalizar os programas de formação continuada docente; a fortalecer a relação entre teoria e prática; a refletir sobre o estudante que recebemos nas IES e o perfil do profissional que é almejado”.

Assim, pode-se dizer que o ENADE também estabelece uma relação entre a graduação e a empregabilidade. Seus resultados refletem diretamente a situação da educação superior do país e, a partir dos seus indicadores, é possível pensar em uma série de medidas para otimizar cada vez mais a formação dos alunos.

Além disso, o conceito impacta diretamente a reputação da universidade, já que, pautadas nos resultados obtidos, surgem várias associações à eficácia da instituição, bem como aos gestores acadêmicos.

Como conseguir atender às exigências governamentais?

Como pode-se perceber, o conceito ENADE impacta o ensino superior de muitas formas. Levando em conta as exigências governamentais em relação ao que se espera do desempenho dos estudantes da graduação e da IES, os gestores precisam atentar-se em medidas para que sua universidade não fique em uma posição aquém à esperada.

Dessa forma, são sugestões para melhorar os resultados da instituição e para proporcionar uma formação suficientemente condizente ao Padrão ENADE:

Elaboração de provas durante o curso

Uma das melhores formas de preparar os alunos para a realização do ENADE é aplicar simulados da prova no decorrer do curso. Dessa forma, eles aprenderão a identificar a conjectura das perguntas, desenvolver uma linha de raciocínio e alcançar melhores resultados.

No site do Inep, estão disponíveis as provas, gabaritos e o padrão de resposta de todas as provas aplicadas entre 2004 e 2017, por área de conhecimento.

Previsão de temas exigidos pelo MEC nas ementas das disciplinas

De forma semelhante, é interessante que a gestão acadêmica busque prever os temas exigidos pelo MEC e incorporá-los às ementas das disciplinas. Assim, os alunos terão contato com os principais assuntos que podem ser cobrados.

Analisando os parâmetros das provas anteriores e discutindo o que já foi aplicado com docentes especialistas em cada área, é possível identificar as referências mais utilizadas para garantir o sucesso da IES no ENADE.

Traduzir o desempenho na performance de docentes

Outra sugestão é a de traduzir o desempenho da instituição no ENADE na performance dos docentes. As áreas que não tem obtido bons resultados carecem de mais atenção. É preciso reavaliar toda a proposta pedagógica dos professores, a necessidade de formação continuada e a possibilidade de reestruturação das metodologias de ensino.

No mesmo sentido, cursos com ótimos resultados podem ser estudados para que os fatores contribuintes para as boas notas sejam aproveitados, também, nas demais áreas. Se o segredo está na dinâmica do docente em sala, por exemplo, esse profissional pode auxiliar os demais para que todos consigam explorar da melhor forma o conteúdo programático.

Adotar sistemas e tecnologias para avaliar os alunos continuamente

Trazer inovação para sua IES é sempre uma boa ideia. Para alcançar o Padrão ENADE, não é diferente. É possível adotar sistemas e tecnologias para avaliar os alunos continuamente, fazendo dos exames e pareceres uma constante dentro da universidade.

Quanto mais familiarizados com a aplicação de avaliações, mais os alunos se sentirão confortáveis no momento da realização das provas, sem contar que essa rotina pode auxiliar a criar uma consciência de análise e, até mesmo, de autocrítica em relação ao aprendizado.

Incorporar a taxonomia de Bloom

Por fim, a IES pode incorporar a taxonomia dos objetivos educacionais — largamente conhecida como taxonomia de Bloom —, às suas matrizes curriculares. A estrutura proposta pelo professor norte-americano, Benjamin Bloom, consiste em dividir a aprendizagem em três domínios:

  • o cognitivo, que consiste na aquisição intelectual;
  • o afetivo, que abrange a gradação de valores;
  • o psicomotor, que trata da capacidade de execução de tarefas.

Cada grande domínio funciona a partir de uma série de habilidades que devem ser desenvolvidas gradativamente pelos estudantes. Há estudiosos que defendem a aplicação desse sistema taxonômico para aprimorar a dinâmica da aprendizagem e, dessa forma, conseguir extrair melhores resultados dos alunos.

 

Como você pôde perceber, há vários meios de adequar a sua IES para que sejam obtidos resultados adequados ao Padrão ENADE. Discuta junto à gestão acadêmica e veja de que forma essas medidas podem ser incorporadas no dia a dia da instituição, a fim de otimizar o seu conceito.

O primeiro passo para conseguir alcançar esse padrão é ter uma visão de qual é a situação atual. Para isso, a plataforma Resultado Enade, desenvolvida pela Saraiva Educação, te permite analisar os principais indicadores da sua Instituição. E a partir daí, você consegue tomar as melhores decisões. Acesse agora para começar a melhorar os resultados da sua IES!