De 2004 para cá, o cenário da educação superior no país tem se mostrado em movimento constante para conquistar ou manter um bom resultado do ENADE. Isso porque, por meio desse indicativo, é possível evidenciar a qualidade e a excelência dos cursos nas instituições de ensino superior (IES), podendo ser extremamente promissor em caso de notas altas. Caso contrário, instituições já consolidadas no mercado podem ver sua imagem desmoronar. Um resultado abaixo da média estabelecida pelo Ministério da Educação (MEC) repercute muito mal entre os candidatos a novos alunos, além de ser passível de sanções e restrições no seu funcionamento. Nesse processo avaliativo, o MEC testa o desempenho dos alunos em relação aos conteúdos programáticos, habilidades e competências com vistas ao mercado de trabalho. Também são avaliados a estrutura física e seus recursos para aulas práticas, assim como o corpo docente e técnico-administrativo. Dessa forma, é muito importante acompanhar cada resultado de desempenho nesses requisitos mencionados. Só assim as instituições, públicas e privadas, terão condições de prosseguir no caminho de acertos e corrigir possíveis falhas. Portanto, se você quer ver a sua IES brilhar no mercado, atrair novos alunos e ser referência na formação superior, acompanhe o nosso post!

Qual a real importância do Enade?

Bom, podemos dizer que o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade) vem se tornando cada vez mais eficiente no propósito de avaliar e manter a transparência na divulgação dos resultados. Aliás, se antes muitos estudantes não tinham interesse em obter notas altas, a credibilidade do Enade ao longo desses anos revela que resultados ruins podem, sim, afetar os seus alunos. Tudo bem que essa avaliação visa mensurar a qualidade de ensino dos cursos de nível superior. Porém, as notas abaixo da média, muitas vezes, contribuem para a perda de credibilidade dos alunos advindos dessas instituições. Por isso, é muito importante estimular a dedicação mútua entre alunos e faculdades, com o objetivo de manter a instituição de ensino em posição satisfatória junto ao MEC e à comunidade externa.

Para o aluno

O primeiro contato do aluno com a nota da IES começa muito antes da matrícula, pois ninguém deseja ingressar em um curso com baixo desempenho na avaliação.

Atualmente, uma das orientações básicas para a escolha da universidade é justamente a realização de pesquisas sobre a colocação do curso no resultado do Enade. Além da lógica de se buscar um curso com qualidade comprovada, tem crescido a exigência de grandes empresas na hora de contratar profissionais com formação superior — até estagiários e trainees. Entre os requisitos necessários para a vaga, está o bom desempenho das instituições na avaliação nacional. Sendo assim, quando as empresas vão fazer a seleção de alunos e recém-formados, a nota do Enade pode entrar como critério de desempate. Isso tem colocado a responsabilidade de bons resultados também sobre os alunos. Então, vamos aprofundar um pouco mais sobre esse exame?

Entenda como funciona essa avaliação

O ENADE foi implementado em 2004 pela Lei 10.861, uma das iniciativas do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), visando melhorar a qualidade dos cursos de nível superior. Desde então, ele passou a ser obrigatório para alunos que estão no último período de faculdade. As provas são realizadas anualmente por um grupo de áreas preestabelecidas dentro do ciclo avaliativo de três anos. Assim, cada curso é submetido à avaliação por triênio, mesmo período obrigatório para a renovação do funcionamento dos cursos. Esse Ciclo Avaliativo do Enade foi definido pelo artigo 33 da Portaria nº 40, de 2007, republicada em 2010. Ele traça metas de avaliação periódica com base no desempenho dos alunos dentro desse triênio. Além disso, os índices servem de parâmetro para o credenciamento das IES e política de expansão e financiamento da educação superior. É importante destacar que é a universidade que faz a escolha dos alunos para representá-la nessa empreitada junto ao MEC, com pontuação de 1 a 5. As notas são divulgadas pelo site do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), subordinado ao MEC e responsável por todo o procedimento. O resultado do Enade pode ser obtido, ainda, por meio de plataformas online que organizam os resultados de forma mais direcionada à instituição de ensino.

Esse é o caso da ferramenta gratuita, desenvolvida pela Saraiva Educação, Resultado Enade“. Se ainda não conhece, clique abaixo e analise os resultados da sua instituição:

 

Saiba que o Enade é obrigatório

Uma vez selecionado para a avaliação, o aluno tem obrigatoriamente que comparecer para a realização da prova. Do contrário, ficará impedido de colar grau e só terá direito ao diploma depois de regularizar a situação com o Inep. O comparecimento ao exame e realização da prova é registrado no histórico escolar do aluno, para comprovação ao MEC/Inep. Cabe à instituição organizar essa etapa desde o início do ano, como forma de deixar os alunos informados e cientes de cada etapa, das inscrições à realização da prova. Vale salientar que os alunos não selecionados pela faculdade podem participar do processo como voluntários.

Para a instituição

Agora, a qualidade de ensino das IES já não está exclusivamente ligada à sua tradição de anos no mercado ou à sua referência na formação em determinado curso. Isso porque a instituição que não se empenhar para conseguir notas de destaque no resultado do Enade pode assistir ao fracasso de trabalho de anos. Em contrapartida, a avaliação proposta pelo MEC possibilitou a criação e reconhecimento de novos cursos com status de excelência. É importante frisar que uma mesma faculdade pode obter avaliação positiva em um curso, mas mostrar baixo desempenho em outros. Com isso, muitas unidades de renome são surpreendidas pelo baixo desempenho dos seus alunos no exame nacional. Apesar da possibilidade de se recolocarem em posição favorável, o caminho é árduo depois de caírem no descrédito.

O que de fato é avaliado?

O Enade estabelece parâmetros comparativos de aprendizagem e desempenho acadêmico ao longo da formação dos alunos. As avaliações são elaboradas com foco na verificação dos conteúdos programáticos dispostos nas diretrizes curriculares do curso em questão. Além disso, as habilidades e competências desses alunos são consideradas, inclusive a preparação deles para a prática profissional. É importante lembrar que as avaliações são aplicadas nos diferentes cursos de uma mesma instituição. Também é observada a organização como um todo, seus projeto pedagógicos, infraestrutura e corpo docente. Por isso, a preocupação em manter a qualidade no ensino e na infraestrutura da universidade é constante.

Como contar com a colaboração dos alunos?

Como a avaliação de determinado curso acontece a cada três anos, é comum que os alunos e a própria instituição passem a se preocupar com esses resultados somente na reta final. No entanto, esse pode ser um grande erro para um resultado insatisfatório. Uma boa dica para atrair o interesse do aluno é promover a conscientização da importância do Enade para a sua carreira assim como a intensificação da preparação desde os períodos iniciais. Mais adiante, você poderá obter detalhes sobre essa etapa. Continue a leitura!

Que índices devem ser levados em conta?

Em primeiro lugar, vamos entender como funciona essa tramitação de criação, reconhecimento e renovação do reconhecimento de cursos de nível superior. Todo esse processo avaliativo é desenvolvido pelo MEC, por meio de seus órgãos subordinados. Ele estabelece critérios para a autorização de um novo curso assim como faz o acompanhamento do mesmo com o objetivo de garantir a qualidade. A realização do Enade é promovida dentro da etapa que avalia o desempenho dos alunos e da instituição para a renovação do reconhecimento dos cursos. Confira cada uma mais detalhadamente:

1. Criação do curso

Para ter direito a implementar um novo curso em suas instalações, a faculdade ou universidade precisa comprovar que tem estrutura física para tal e apresentar um projeto pedagógico. Além de apresentar um planejamento para o funcionamento do curso, a instituição recebe a visita de representantes do Banco Nacional de Avaliadores (Basis), associado ao MEC. Essa equipe, formada por dois avaliadores, é que vai verificar as informações com base em três aspectos:

  • Infraestrutura — dessa forma, são observadas as instalações da unidade, se a estrutura física tem condições para receber um número maior de alunos e se oferece espaços para pesquisas em laboratórios, por exemplo;
  • Professores e funcionários — é importante lembrar que toda a qualidade do serviço prestado pela instituição passa pelo crivo do MEC, da formação do corpo docente, que precisa estar qualificada para promover um processo de ensino-aprendizagem adequado, até a qualidade dos colaboradores técnico-administrativos;
  • Projeto pedagógico — por último, é avaliada a organização pedagógica, que integrará as diretrizes curriculares na condução do novo curso proposto.

Após o cumprimento desses requisitos e obtenção da autorização, a IES já pode se organizar para a abertura do vestibular e seleção de novos alunos que vão integrar o curso. Se a unidade já funciona com outras formações superiores, certamente as notas obtidas nesses cursos influenciarão na opção dos candidatos à vaga.

2. Reconhecimento do curso

Além de receber a autorização para ofertar um novo curso, a instituição de ensino precisa obter o reconhecimento pelo MEC. Para isso, assim que a primeira turma chegar ao período equivalente à metade da duração total, a instituição deve solicitar a avaliação do MEC. Mais uma vez, dois avaliadores visitarão a instituição para verificar se o planejamento pedagógico está sendo aplicado. Também serão avaliados o corpo docente e técnico-administrativo, estrutura física e atuação didático-pedagógica.

3. Renovação de reconhecimento do curso

Mais do que cumprir os critérios exigidos pelo MEC para a criação e reconhecimento de um curso superior, as unidades precisam mostrar capacidade de manter a excelência na formação acadêmica. Só assim elas obtêm a renovação de reconhecimento do curso para o próximo triênio. Por ano, são mais de 2 mil instituições de ensino que participam dessa avaliação. Nos cursos com resultados abaixo da média e nos que não tiveram a representação de, pelo menos, dois alunos na prova do Enade, serão realizadas visitas de avaliadores e de técnicos, respectivamente. Caso os resultados se mantenham negativos por até duas avaliações consecutivas, as instituições podem sofrer sanções, desde o impedimento de abertura de novas vagas à perda do credenciamento. Outro motivo de preocupação é a impossibilidade de oferecer o Fundo de Financiamento Estudantil (Fies) aos alunos. Nesse processo avaliativo, além da nota do Enade, é calculado o Conceito Preliminar do Curso (CPC), com pontuação equivalente de 1 a 5.

Conceito Preliminar do Curso (CPC)

Para obter a nota média dos cursos de graduação, são considerados o desempenho dos alunos pelo resultado do Enade assim como os valores do CPC, este último realizado diretamente na instituição. Ele, portanto, subsidia o indicativo de qualidade dos cursos de graduação, sendo concluído e liberado no ano seguinte à avaliação do exame nacional. Esse conceito envolve, então, a avaliação do corpo docente, infraestrutura e recursos didático-pedagógicos, além do nível de desempenho dos alunos. Sendo assim, os cursos que não foram representados no Enade não têm seu CPC calculado, ficando Sem Conceito (SC). Por isso, esse cálculo tem relação direta com o ciclo avaliativo do Enade. Observe a seguir a programação do MEC/Inep para o triênio 2016-2018:

  • Bacharelados e Licenciaturas
    • Ano I – Saúde, Ciências Agrárias e áreas afins, em 2016;
    • Ano II – Ciências Exatas, Licenciaturas e áreas afins, em 2017; e
    • Ano III – Ciências Sociais Aplicadas, Ciências Humanas e áreas afins, em 2018;
  • Eixos Tecnológicos
    • Ano I – Ambiente e Saúde, Produção Alimentícia, Recursos Naturais, Militar e Segurança, em 2016;
    • Ano II – Controle e Processos Industriais, Informação e Comunicação, Infraestrutura e Produção Industrial, em 2017; e
    • Ano III – Gestão e Negócios, Apoio Escolar, Hospitalidade e Lazer, Produção Cultural e Design, em 2018.

 

Índice Geral de Cursos

O Índice Geral de Cursos (IGC) é outro indicativo de qualidade da educação superior. Só que, apesar de o seu cálculo ser realizado anualmente, são considerados os dados relativos ao último triênio. Dessa forma, a média obtida é sempre relativa a todas as áreas do conhecimento. Para chegar à média do IGC, são observados três aspectos básicos no triênio:

  1. os resultados do CPC, ponderados pelo número de matrículas nos respectivos cursos;
  2. média dos programas de pós-graduação stricto sensu, também convertida e ponderada pelo número de matrículas nesses programas;
  3. a distribuição dos estudantes nos níveis de graduação ou pós-graduação, sendo excluída tal exigência das faculdades que não dispõem de programas de pós-graduação stricto sensu.

 

Conceito Enade

Já este último conceito aqui mencionado refere-se tão somente ao resultado do Enade que avalia o desempenho dos alunos de curso superior. O cálculo e a divulgação ocorrem todo ano para os cursos que tiveram pelo menos dois alunos concluintes participantes do exame. Este conceito representa um recorte com resultados exclusivos desses alunos, de acordo com os cursos avaliados e suas áreas vinculadas.

Como preparar melhor os alunos para o Enade?

Não é só na reta final dos cursos de graduação que os alunos devem ser submetidos a treinamentos e realização de simulados para uma melhor preparação para o exame nacional. Aliás, essa prática, por vezes tida como regra, pode ser muito prejudicial para um satisfatório resultado do Enade.

Para um bom desempenho no Enade, a avaliação contínua é fundamental desde o ingresso do aluno na IES.

Você já parou para pensar quanta coisa um aluno de curso superior precisa alcançar no último período? A começar pelo Trabalho de Conclusão de Curso (TCC), isso já seria um motivo suficientemente forte para reduzir a carga sobre esses candidatos. Além disso, eles ainda precisam dar conta de avaliações e tarefas propostas pelo seu curso. Dessa forma, o ideal é que eles sejam submetidos gradativamente a conteúdos relevantes do Enade no decorrer dos períodos anteriores. Uma boa sugestão, ainda, é cobrar os conteúdos das diretrizes curriculares em um formato semelhante ao da avaliação do MEC. Assim, os alunos já teriam possibilidade de se familiarizar com o contexto da prova e com os conteúdos cobrados. Tudo isso de forma mais natural, o que tornaria mais suave a memorização. Essa técnica distribuída em períodos anteriores ajudaria também a prática pedagógica dos professores, que teriam mais tempo para preparar esses alunos. Talvez até contribuísse para resultados mais satisfatórios das instituições. Afinal, os dados comparativos do último triênio revelaram um conceito Enade com média abaixo de 50% no conteúdo específico.

Observe os resultados divulgados pelo MEC/Inep

Conforme a divulgação do resultado do Enade de 2015, todos os cursos avaliados apresentaram média de acertos abaixo dos 60%. Nas questões de Formação Geral, a média variou entre 52,8% e 57,9%; Já nas questões específicas, essa média caiu para 41,3% a 44,9%. De acordo com os dados desse mesmo ano, foi observado que uma minoria dos avaliados alcançou a nota máxima. Nesse cenário, a maioria dos cursos, 57,7%, ficou com nota 3 – a média de 1 a 5. Já acima dessa média, foram 27,7% dos cursos; 11,3%, obtiveram nota inferior a 3; e 3,3% não obtiveram conceito. Resultado do Enade 2015

Estrutura das provas

As provas aplicadas pelo MEC durante o procedimento avaliativo do Enade dispõem de 40 questões, sendo 10 de Formação Geral (FG), 8 de múltipla escolha e 2 discursivas, equivalentes a 25% da prova. Para cada questão de FG, o peso é de 1 ponto. As outras 30 questões são relativas aos Componentes Específicos (CE), 27 de múltipla escolha e 3 discursivas, equivalentes a 75% da prova. Para cada questão específica, o peso é de 3 pontos.

Resumindo:

40 questões

  • 10 de Formação Geral (FG) – PESO 1 por questão
    • 8 de múltipla escolha
    • 2 discursivas
  • 30 de Componentes Específicos (CE) – PESO 3 por questão
    • 27 de múltipla escolha
    • 3 discursivas

 

Necessidade de revisão ao resultado do Enade

Mesmo considerando que a média pode não corresponder de forma fiel à qualidade do curso, essa questão dos índices precisa ser revista. Afinal, a justificativa de que mesmo um bom desempenho individual de alunos comprometidos pode gerar resultados negativos para a instituição, quando essas notas são somadas à média dos alunos desinteressados, pode causar prejuízos imensuráveis.

Invista na satisfação do aluno em relação à instituição

Conquiste os seus alunos para que eles se concentrem para elevar ou manter a nota da instituição. Isso porque, devido à exaustão ao fim de uma graduação, pode ser que o desestímulo ganhe espaço entre as obrigações no decorrer do ano. Portanto, faça com que os jovens tenham orgulho da instituição em que estudam. Que tal realizar algumas ações simples, mas que podem significar bastante no dia a dia dos alunos? Confira as dicas:

  1. capacite os profissionais para serem ágeis e cordiais com os alunos. Não tem nada pior do que enfrentar o mau humor de funcionário ou mesmo empecilhos para resolver questões burocráticas. Sem dúvida, um melhor atendimento será reconhecido pelo corpo discente;
  2. mantenha as dependências da instituição de ensino sempre limpas, principalmente banheiros e áreas comuns. Esta é uma excelente forma de demonstrar valorização à comunidade acadêmica;
  3. dê visibilidade à unidade por meio de participação em associações acadêmicas e atléticas, criação de empresa júnior, campeonatos, núcleos, apoio à representação de grupos, entre outros.

Ofereça simuladores da prática como opção

Atualmente, existem várias plataformas e ferramentas tecnológicas online como forma de proporcionar treinamento prático em diferentes áreas de conhecimento. Algumas empresas oferecem até mesmo jogos e simuladores da prática, com problematização, tomada de decisão e pontuação máxima quando se chega a uma solução. Dessa forma, pesquise sobre os modelos existentes no mercado, capazes de complementar a teoria dada em determinados cursos. Além de capacitação similar a um trabalho de campo, essas ferramentas são capazes de motivar os alunos, com adesão praticamente de 100%. Certamente, uma iniciativa dessas vai contribuir para a atração de novos alunos, investidores e até profissionais capacitados. Uma boa oportunidade também para a sua instituição de ensino decolar nas notas obtidas por meio de visitação de avaliadores. Aposte nisso!

Desenvolva atividades de conscientização

Promova trabalhos de conscientização sobre a importância do Enade para o próprio aluno, pois significa a sua carta de referência para o mercado de trabalho. Afinal, por mais que o resultado do Enade esteja avaliando a qualidade de ensino da instituição, já deu para perceber como a nota reflete no futuro profissional dos alunos. Mais do que falar da importância de maior empenho dos alunos, é mostrar, por exemplo, como o processo seletivo de empresas considera o resultado do Enade. Se a faculdade que você representa já tem uma boa colocação, essa informação pode fazer diferença para que o aluno se esforce mais para manter os índices. Caso a colocação ainda não seja a ideal, invista na política de elevação no Enade!

Dê subsídio com ferramentas pedagógicas

Acrescente ao projeto pedagógico ações gradativas para a preparação dos alunos, com conteúdos e modelos de provas semelhantes às aplicadas pelo Enade, por exemplo. Essa iniciativa pode contribuir tanto para os alunos como para a prática pedagógica, pois será mais fácil de os professores identificarem as reais dificuldades. O próprio site do Enade disponibiliza simulados e provas com possibilidades de revisão dos conteúdos. Aproveite essas ferramentas para subsidiar as aulas da grade curricular assim como nas horas extras para intensificar o preparo.   Então, com todas essas informações sobre o resultado do Enade, deu para perceber que você tem motivos de sobra para acompanhar cada etapa desse processo avaliativo, não é mesmo? Aproveite para utilizar a ferramenta gratuita do Resultado Enade e verificar os indicadores da sua instituição de ensino de forma mais organizada!

Compartilhe este artigo nas suas redes sociais para promover discussões em torno das estratégias utilizadas para melhorar o desempenho de sua IES!